• QUEM SOMOS


  • PORTFÓLIO


  • O QUE VENDEMOS


  • ÁREA DO CLIENTE


Até a metade de 2007 serão 34 milhões de internautas, com 20% de compradores on-line

Publicado em 09/11/2005

Estima-se que mais de 627 milhões de pessoas no mundo sejam compradores ativos de lojas virtuais na internet --o que representa cerca de 10% da população do globo. O fato de esse número representar o tamanho do mercado potencial para qualquer site de varejo instalado na web --é nove vezes a população economicamente ativa brasileira-- não parece animar os estudiosos que fizeram um relatório sobre esse mercado após um mês de pesquisas em 38 países, como o Brasil.

Klaas Hommez, vice-presidente do grupo "produtos do consumidor" da consultoria ACNielsen, que realizou a pesquisa, o fato de "um indivíduo em cada dez da população mundial comprar pela internet não é suficiente para garantir um volume de vendas satisfatório".

Segundo a empresa, há uma clara tendência de crescimento global, mas os países mais desenvolvidos estão registrando expansão no consumo menos veloz do que aquela em países menos desenvolvidos, como o Brasil. Esse movimento, entendido como natural nesse processo que se iniciou nas nações mais ricas, levará ao que o relatório chama de "equiparação dos mercados".

Brasil

No Brasil, há 4 milhões de consumidores na web de um total de 30 milhões de internautas, segundo dados de junho de 2005 da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico. Isso representa cerca de 13% do total. Até a metade de 2007, o quadro deverá mudar, segundo os consultores especializados. Serão 34 milhões de internautas, com 20% de compradores on-line, segundo a Câmara de Comércio Eletrônico.

Pelo relatório da ACNielsen realizado em abril e maio, de cada dez internautas no Brasil, três fizeram compras no mês antecedente à pesquisa. É o número mais baixo para os países analisados, só empatando com Portugal. Mas os analistas explicam que há um potencial maior para expansão nesses países emergentes do que em nações como o Reino Unido, que têm seus mercados mais amadurecidos.

Ainda segundo a ACNielsen, nos EUA, o número foi de 4,2 para cada dez internautas. Na China, cinco internautas em cada dez consumiram algo no período. O melhor resultado é o da Alemanha (6,7).

O Brasil, relata o estudo, é o oitavo mercado de livros na web --45% dos internautas ouvidos fizeram a última compra de livros pela web.

Porcentagem acima da taxa média global de 34% e superior aos EUA (28%). Isso porque, no país, a venda da mercadoria ainda é concentrada na classe média, que acessa a internet, diferentemente dos EUA, com público leitor maior e venda pulverizada.

Além disso, o Brasil ainda ocupa a sexta posição no mercado de vídeos, DVDs e jogos. Pelos dados, 28% dos consumidores no país fizeram a última compra do produto de maneira virtual --taxa maior que a dos EUA.

Algumas curiosidades do levantamento mostram o tamanho do atual mercado de consumidores no mundo. Segundo o levantamento da ACNielsen, mais de 135 milhões de pessoas já adquiriram DVDs ou videogames pela web.
No caso dos vestuários e calçados, produtos de baixo apelo entre os internautas no Brasil, o relatório mostra que 128 milhões de clientes virtuais compraram mercadorias desse segmento na web no mundo.

Uma análise dessa magnitude foi possível de ser feita porque a empresa entrevistou 21.261 pessoas no mundo e, com base nas respostas, fez uma estimativa para a população total dos 38 países participantes.
Até a metade de 2007 serão 34 milhões de internautas, com 20% de compradores on-line

Compartilhe:

 

 

Visitas: 1328

Fonte: Folha de S.Paulo

Entre em contato

Onde estamos

Este site utiliza cookies e outras tecnologias para melhorar a sua experiência. Leia nossa Política de privacidade.